Disqus for blog-amado-batista-net

AMADO BATISTA O CANTADOR DE HISTÓRIAS ( A PRISÃO )

21 de fev. de 2013


Amado Batista o Cantador de Histórias

A prisão

 Em 1972, época da ditadura militar, o general Emílio Garrastazu Médici era o presidente, eleito pela Junta Militar. Seu governo ficou conhecido como " anos de chumbo", por ter sido o mais árduo e repressivo da história brasileira.

 Na ocasião, a política da censura estava em evidência e os veículos de comunicação sofriam. Dezenas de professores, políticos, músicos, artistas e escritores foram investigados, presos, torturados ou exilados.

 Amado ainda trabalhava na livraria, vendia livros proibidos, como mãe, de Máximo Gorki. A Rússia comunista era visada e tudo que vinha de lá era censurado. Mas Amado, em sua ingenuidade, não sabia dessa proibição.

 Bastante movimentada, a livraria Oió rendeu a Amado muitos "amigos" comunistas, que queriam mudar o país à força, com ataques a quartéis, usando arma de fogo. Mergulhado em sua inocência, o cantor - que então apenas ostentava o sonho de sê-lo - em nenhum momento suspeito que esse amigos tinham como projeto transformar o país aos trancos e barrancos, Mas eles, sim, sabiam muito bem que estavam sendo investigados pela Polícia Federal e que, se fossem pegos, estariam em maus lençóis.

 Pedro - a pedido de Amado Batista, utilizei nome fictício - era comunista, professor do Estado e sabia que estava prestes a ser descoberto. Então pediu um favor para Amado, que não suspeitou de nada. O comunista entregou-lhe uma procuração dando-lhe plenos poderes de receber o seu salário.

 Com a procuração em mãos, Amado recebia o ordenado de Pedro e o repassava. Pronto! Foi a deixa perfeita para também ser investigado como um deles.

 - Foi aí que eu me compliquei -  disse Amado, cerrando os dentes e com a expressão de quem tomou uma má decisão.

 Foi preso por engano. Nada tinha a ver com os comunistas. Por dois meses, Amado ficou recluso do mundo, em poder da Polícia Federal.

 - Sofri tortura física e psicológica.

 Socos, chutes, tapas, Amado apanhou muito.

 Muitas vezes os policiais colocavam um capuz preto em sua cabeça e o levavam para um local totalmente silencioso. Sem enxergar nada, Amado ficava tenso e com medo do que poderiam fazer. Passava de tudo por sua cabeça. De repente, só escutava um " plaft!" , um policial batia na mesa para que ele se assustasse.

 O coração disparava. O medo era maior que a revolta.

 Os prisioneiros eram diversão para os policiais, que os pegavam rispidamente e os arrastavam dizendo que seriam jogados na piscina ou em rio com uma corda amarrada ao pescoço.

 - E você não vendo nada, imagina?! Nossa senhora. É uma tortura psicológica danada.

 E aí vinham:

 - Ei, acorda! Levanta que nós vamos te matar agora. Vira de costas.

 E Amado, amedrontado, virava de costas e fechava os olhos, imaginando que a qualquer momento levaria um tiro e morreria.

 Foram meses difíceis. Chegaram a colocar brinco de pressão na orelha dele e o metralhavam de perguntas.
À medida que ele ia respondendo, os policias "zap!" ligavam o aparelho de choque para que ele se cortasse todo e mordesse a língua. Era sangue para todo lado.

 Dois meses de reclusão, tortura e sofrimento. Um mês sendo torturado e outro se recuperando, para que ninguém suspeitasse de tais torturas.

 Bastaram sessenta dias para que dentro de Amado crescesse uma mistura de fúria e revolta. Estava inconformado por ter sido preso sem motivo, sem culpa.

 - Eu saí querendo matar todo mundo -  diz o cantor com expressão de fúria.

 Foi humilhado injustamente.

 - Ele ficou traumatizado na época. Saiu de lá pensando em suicídio, mas logo depois superou - relembrou Reginaldo Sodré.


3 comentários:

  1. Esse cara parece sofrer da Síndrone de Estolcomo, idolatra seus algozes.Ou gosta mesmo de apanhar. porém diveria tem mais respeito a milhares de Brasileiros que tiveram suas vidas destruídas pelo regime militar, centenas de pais que não puderam nem sepultar seus filhos. deveria ficar calado!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O cara não faltou com respeito a ninguém, mas, no Brasil quem não tem medo de defender suas ideias, é quem paga de desumano, afinal, as pessoas sentem a necessidade de só ouvirem o que concordam!
      Liberdade de expressão na mídia existe, desde que você não aponte um ponto positivo na época ditatorial, senão alguém vai por o dedo na sua cara e te chamar de louco ou ignorante.

      Excluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial
 
Copyright © 2015. BLOG AMADO BATISTA.net.
Design by Herdiansyah Hamzah. Published by Mais Template.
Creative Commons License